O que é acne?

A acne é uma lesão de pele muito comum e comentada, que ocorre principalmente no rosto, mas pode surgir em outras partes do corpo, como as costas e no peito.

A fase onde a ocorrência é maior é na adolescência mas os adultos também apresentam este distúrbio.

A acne acontece devido a uma inflamação ou infecção das glândulas sebáceas (que são responsáveis pela secreção de óleo), por isso é maior a incidência nas pessoas que tem a pele do tipo oleosa.

Estas glândulas sofrem uma obstrução por oleosidade (excessiva) e pele morta. Desta forma as células obstruídas não são capazes de retirar as impurezas se transformando num foco para o desenvolvimento das bactérias, formando assim toda a evolução da doença da pele como acne, espinhas, cravos, nódulos e pústulas.

Surge bem mais em adolescentes pois é a fase onde se inicia a produção dos hormônios sexuais masculinos (andrógenos) e os femininos (estrógenos).

De um modo geral a acne desaparece por si só (quando os hormônios se equilibram) sem necessidade de grandes tratamentos ou intervenções. Existem porem algumas exceções onde a acne permanece na vida adulta.

O maior incomodo deixado pela acne são as cicatrizes. Para evita-las é aconselhável consultar um especialista para que ele indique os medicamentos corretos de acordo com o seu caso. Estas cicatrizes podem manchar a pele, felizmente hoje em dia cremes como o Melan Free ajudam a resolver este tipo de problema.

A acne se apresenta em graus variados de acordo com o nível da inflamação, podendo chegar a casos mais graves onde progridem para caroços, cistos e grandes lesões.

Como ocorre a acne?

Como já dissemos, ocorre uma inflamação das glândulas sebáceas que acumula este “material” dentro dos poros formando os conhecidos cravos.

Quando eles se rompem liberando a inflamação forma-se então a acne e posteriormente a espinha.

Tipos de acne:

  • Grau I

É o início quando surgem apenas os cravinhos que são aqueles pontinhos pretos. Nesta fase ainda não aparecem lesões inflamadas.

  • Grau II

Surgem as espinhas (pequeninas ainda), com pontinhos de inflamação (amarelada de pus).

  • Grau III

Nesta fase surgem os cravos, espinhas maiores (mais profundas), avermelhadas e dolorosas que significam o avanço da inflamação.

  • Grau IV

É uma fase adiantada da inflamação que tem os cravos, espinhas maiores com lesões, abcessos interconectados resultando em deformidade das partes inflamadas e cicatrizes.

Como evitar?

  • Lave o rosto duas vezes ao dia com sabonete neutro.
  • Lave frequentemente as mãos e não toque no rosto.
  • Não fique “espremendo” os cravos e espinhas que surgirem
  • Mantenha sua alimentação saudável e equilibrada.
  • Em caso de dúvidas procure sempre orientação de um especialista.

Dicas Para Combater a Impotência Após ter Infarto

A ereção é uma função do organismo masculino que está diretamente ligada com a circulação de sangue. Por isso é que muita gente se pergunta se os problemas de ereção podem indicar também um problema cardiovascular e vice-versa.

Mais do que isso, não é incomum que pacientes que já sofreram infarto fiquem preocupados em relação ao seu desempenho sexual futuro e isso é algo até bem normal.

É por isso que hoje vamos falar um pouco mais sobre a relação entre impotência sexual e infarto e suas nuances. Lembre-se que se você já teve infarto, não use produtos químicos para impotência, nesse caso recomendo que use o Fizzy Max que é um estimulante totalmente natural.

Quem teve infarto pode voltar a ter ereção?

Uma ereção só ocorre quando os corpos cavernosos do pênis são inteiramente preenchidos de sangue. Para que isso ocorra, as artérias que vão em direção ao pênis se dilatam e o coração bombeia o sangue para que ele chegue até onde é preciso.

Portanto, podemos dizer que a ereção é, também, um fenômeno que tem relação ao sistema cardiovascular, embora envolva outros sistemas também.

No infarto, ocorre a um prejuízo ou a “morte” de uma determinada área do coração, que é causada pela falta de irrigação do sangue naquela região.

No entanto, mesmo com a função comprometida, o coração não perde a sua função de bombeamento. Logo, a ereção não deve ser afetada, com exceção de infartos mais extensos e que limitam a rotina do paciente.

Dificuldade de ereção indica problemas cardíacos?

Como já foi dito, a ereção é um fenômeno que envolve uma série de sistemas, incluindo o nervoso, cardiovascular e outros. Portanto, não se pode dizer com toda a certeza de que todos os quadros de impotência indicam um problema cardiovascular, mas a verdade é que em alguns casos, essa relação pode existir.

Sendo assim, é importante lembrar que a obrigação do urologista ao receber um paciente com essa condição, é encaminhá-lo ao cardiologista para fazer uma checagem geral, podendo descartar, ou não, o problema.

Remédios para o coração causam impotência?

Infelizmente, a verdade é que a maioria dos medicamentos utilizados no tratamento dos problemas cardiovasculares podem sim aumentar os risco de disfunções sexuais.

De acordo com dados de estudos, até 20% dos pacientes que fazem uso desse tipo de remédio podem desenvolver problemas de ereção ou falta de apetite sexual.

Normalmente, isso é mais comum com medicamentos conhecidos como betabloqueadores, que são usados na prevenção de novos infartos e também no tratamento da hipertensão.

Seja qual for o caso, a dica é estar sempre em contato com o médico e fazer os acompanhamento regular do problema.